NOTÍCIAS

Loading...

sábado, 25 de abril de 2015

MPF/AL impetrará na Justiça Federal uma Ação Civil Pública contra a EBSERH

Em matéria publicada AQUI no dia 26 de março, informamos que a Procuradora da República, Dra. Niedja Kaspary, havia acolhido os argumentos inverídicos do presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH), Paulo Teixeira, acerca da manutenção de pessoal contratado precariamente pela Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (FUNDEPES) no setor de Radiologia do Hospital Universitário Prof. Alberto Antunes (HUPAA).
No Ofício 060/2015-SP/HUPAA/UFAL, encaminhado pelo reitoriano Teixeira ao Ministério Público Federal de Alagoas (MPF/AL), ele declarou falsamente “... que o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado junto com o Ministério Público Federal da 10ª Vara do Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região, prorroga o prazo para efetivação das demissões dos funcionários terceirizados da FUNDEPES para 31 de dezembro de 2015”, argumento esse que foi contestado anteriormente pela Procuradora da Republica, pois o citado acordo não estipula data para que se proceda a demissão dos precarizados.
Visando obter mais informações sobre essa e outras declarações apresentadas pelo dirigente, a Dra. Niedja Kaspary, o intimou mais uma vez, através do Ofício nº 235/GNK/PRAL/2015, a apresentar esclarecimentos sobre a assinatura do TAC junto ao MPF/AL e ao Juiz da 10ª Vara do Trabalho da 19º Região, pelo qual, essas autoridades haviam prorrogado o prazo para demissão dos fundacionais para o último dia de 2015. Ainda no mesmo ofício, a Procuradora solicita o cronograma com as datas das demissões dos funcionários da FUNDEPES e das respectivas nomeações dos aprovados no último concurso realizado pela EBSERH no ano de 2014.
A medida adotada pela Procuradora visa apurar as possíveis irregularidades praticadas pela direção da EBSERH que poderá resultar em processo, pois o Procedimento Preparatório nº 1.11.000.000111/2015-71, também enviado a estatal, através do Despacho nº 162/GNK/PRAL/2015, demonstra claramente que o MPF/AL vai impetrar uma Ação Civil Pública (ACP) contra a estatal.
Processo e eleição para reitor da UFAL
Esse processo, se confirmado, cairá como uma bomba no QG do Campus A. C. Simões, pois o reitor Eurico Lobo e sua pré-candidata a reitora, Rachel Rocha, são membros do Conselho Deliberativo da FUNDEPES, o Lobo como presidente e a Rocha como vice e ainda os dois nomes (Andeson de Barros e Gaus Silvretre) que estão disputando a vaga de vice-reitor na chapa reiotirana, também fazem parte do mesmo conselho.
O Conselho Deliberativo é o órgão máximo da administração da FUNDEPES, mas ainda não se pronunciou sobre as supostas irregularidades denunciadas junto ao MPF/AL, o aliado Paulo Teixeira é quem assumiu a tarefa de defender a EBSERH e ao mesmo tempo a fundação.
Por que será que o presidente do conselho da FUNDEPES ou sua vice, não se pronunciaram até agora sobre os contratos irregulares dos trabalhadores que executam suas atribuições no HUPAA? Por que será que o presidente da EBSERH, ao invés de se preocupar com as questões relacionadas a empresa, assumiu para si a responsabilidade de defender a FUNDEPES?
São essas e outras questões que precisam ser esclarecidas a toda comunidade universitária.

Fonte: Ufalsindical

sexta-feira, 24 de abril de 2015

UFAL - Diretor da FEAC poderá ser o vice da Rachel

A corrida dos grupos políticos que pretendem disputar a eleição para reitor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) se intensificou depois do anúncio da criação da terceira via e do lançamento do nome do seu candidato. A busca por informações fez aumentar os acessos às páginas eletrônicas do blog, tamanho o interesse da comunidade universitária pelo tema.
Há uma inquietação entre os reitorianos, eles não sabem que tática adotar para impedir o crescimento astronômico da terceira via, pois eles não acreditavam nessa possiblidade, mas agora terão de reformular todo seu planejamento estratégico para tentar alavancar a candidatura da sua candidata, Rachel Rocha, atual vice-reitora.
Comenta-se nos corredores da UFAL que o desconhecido Gaus Silvestre, atual diretor do Centro de Ciências Agrárias (CECA/UFAL), apesar de ser um representante do interior, não conseguirá, caso seja o escolhido, transferir os votos obtidos pela chapa do seu antecessor, na última eleição (2011), porém seu nome continua como opção.
O nome que tem ganhado notoriedade entre os reitorianos é do diretor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEAC/UFAL), Anderson de Barros, o mesmo, assim como o seu colega Gaus, são membros do Conselho Deliberativo da Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (FUNDEPES), onde tem como seu presidente o reitor e como vice a Rachel.
Para alguns componentes do primeiro escalão, o Barros tem grande vantagem em relação ao diretor do CECA/UFAL, é administrador e tem sido um braço forte na gestão do Eurico Lobo, dizem até que ele é quem administra a universidade, pois seu conhecimento e experiência na gestão da Ana Dayse, o tornou uma espécie de assessor especial do reitor. Mas existem outros que não acreditam no atual formato da chapa e veem como única chance de vitória uma composição formada pelos nomes do Josealdo Tonholo e Eliane Cavalcanti, ambos descartados pelo QG do Campus A. C. Simões. Segundo informações, o primeiro por infidelidade e a interiorana por não se mostrar tão reitoriana como parece.
As peças do tabuleiro estão postas e poderão ser modificadas de acordo com a jogada dos adversários, mas só vencerá quem tiver mais habilidade.
Fonte: Ufalsindical

quinta-feira, 23 de abril de 2015

UFAL - Projeções já indicam que o candidato da terceira via estará no segundo turno

O artigo publicado AQUI sobre a criação da terceira via e a confirmação do Márcio Barboza como cabeça de chapa do grupo, está causando o maior desespero no QG do Campus A. C. Simões. Os reitorianos não acreditavam na possibilidade de ter um terceiro nome disputando a eleição para a escolha do novo reitor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL).
A adesão ao grupo dos professores independentes tem aumentado de forma surpreendente. Além dos docentes, os técnicos receberam a notícia com muita alegria, assim como os estudantes, pois todos acreditam que é possível reconstruir a UFAL e torná-la uma universidade do futuro.
Na oposição, a informação que o Barboza marcharia como candidato da terceira via, frustrou os planos da Valéria Correia, que segundo informações de bastidores, havia o convidado para encabeçar a chapa dos radicais, mas o pré-candidato independente rejeitou a proposta.
Alguns cientistas políticos da UFAL já começaram a fazer suas projeções em relação ao pleito deste e não veem qualquer possibilidade da Rachel Rocha, candidata do Eurico Lobo, superar os seus adversários, podendo ficar de fora de um eventual segundo turno que posivelmente será entre independentes e oposição, com grandes chances do Márcio se tornar o novo reitor da IFES.
O mapa da eleição deste ano já tem um novo formato e ao que tudo indica, a universidade terá um novo reitor que não será da situação.

Fonte: Ufalsindical

quarta-feira, 22 de abril de 2015

UFAL - Terceira via agora é oficial e o nome do Márcio Barboza é confirmado como candidato a reitor

Em reunião realizada na tarde desta quarta-feira (22) no Laboratório de Ciências da Computação e Visualização (LCCV/UFAL), um grupo de professores discutiram os problemas da UFAL e um dos temas do encontro foi a construção de uma terceira via. Depois de horas de debate, os presentes decidiram aprovar por unanimidade a proposta de independência e o lançamento de candidatura própria para disputar o cargo de reitor, na próxima eleição, o Márcio Barboza foi o escolhido como cabeça de chapa, porém o nome do vice ficará para outro momento.
Segundo Eduardo Setton, um dos principais articuladores da terceira via, em coversa com o blogueiro Roberto Marinho, disse: "já estava mais do que na hora a gestão saber que ninguém lhes é subserviente e nem aceita cabresto, pois todos nós somos livres para escolher, decidir e seguir a nossa vida. A UFAL pode ser para alguns, uma senzala, mas agora estamos oportunizando a todos a chance de ter sua carta de alforria, queremos uma universidade livre das perseguições e dos assédios morais. MUDA UFAL”.
Os nomes dos pretensos candidatos a vice, segundo a articulação dos independentes, está sendo guardado a sete chaves, pois eles escolherão um dos nomes que está a disposição do grupo e isso ocorrerá de acordo com a composição das chapas da situação e da oposição.
Para o ex-dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade Federal de Alagoas (SINTUFAL), Moyses Ferreira, “A construção de uma terceira via não é nada fácil, principalmente quando o cenário é desfavorável. Nessa gestão a política de gabinete foi exercida com maestria pelo reitor Eurico Lobo, os acordos e conchavos foram priorizados para atender os interesses de diversos reitorianos, enquanto isso ocorre, as demandas da comunidade são colocadas em segundo plano, levando a estagnação do sistema. Hoje não temos alternativa, se não a mudança. É preciso pensar grande, se continuarmos onde estamos, será impossível enxergamos uma UFAL do futuro, continuaremos parados no tempo”. Disse o Ferreira,
O blog parabeniza os professores que tiveram a coragem de proporcionar a comunidade, uma terceira opção para a próxima eleição e desde já abre esses espaço, caso queiram, para apresentar suas propostas.
Fonte: Ufalsindical

UFAL - Dirigente do ANDES poderá ser o vice da Valéria Correia?

Na pré-campanha para a disputa eleitoral pelo cargo do novo gestor da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), a corrida dos grupos políticos para a composição de suas chapas de apoios apoios necessários para o pleito, tem deixado algumas lideranças com os nervos a flor da pele, pois os nomes que poderiam atrair votos estão se esquivando do pleito, alguns por medo, outros por descrédito.
A indefinição na composição para vice na chapa oposição, onde tem a Valéria Correia como pré-candidata à reitoria, tem levado alguns especuladores a apostarem no nome de um dos vice-presidentes da regional Nordeste 3 do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), Tiago Leandro da Cruz (Tiago Zurck). O dirigente do ANDES é também membro do Conselho Universitário da UFAL (CONSUNI/UFAL) e o mais polêmico do pleno. Como militante esquerda e apoiador da candidatura da Correia, é um dos mais radicais da grupo.
Em 2013 encabeçou uma chapa e disputou a eleição da Associação dos Docentes da UFAL (ADUFAL) e sofreu a maior derrota nunca vista na história dos pleitos da entidade, dos 608 votantes, apenas 178 (29%) acreditaram nas suas propostas, 71% disseram não, naquele ano o grande vencedor foi a chapa encabeçada pelo Márcio Barboza, que obteve 430 votos.
Para alguns dos seus colegas, o Zurck é uma pessoa crítica e em alguns momentos parece ter uma altoestima desacerbada ao ponto de desprezar seus pares, quando se trata de pessoas que não tem seu nível de intelectual, sua altivez extremamente se eleva .
Em recente comentário nas redes sociais, o professor radical comentou um artigo do blog postado por um dos seus colegas: “Faz parte xxxxxxxxx e não se apoquente com o #ufalsindical. É a revista "titi" da ufal. Já viu o tom dos textos? rsrsrsrs não sou leitor, mas dei umas boas risadas com os textos. O editor, redator, com alguns enganos, parece estar bem informado. Será um paparazzi! Kkkkk”.
Se a indicação do dirigente do ANDES for verdade, dificilmente a Valéria Correia somará algo a sua candidatura.
Vamos aguardar a definição, pois até agora o que temos é especulação.

Fonte: Ufalsindical

UFAL - Saudação polêmica no interior causa indignação

Circula nas redes sociais uma foto de uma faixa exposta na UFAL do Campus Sertão, saudando a vice-reitora Rachel Rocha, como futura reitora da universidade. Ainda não se sabe de quem foi à iniciativa que está gerando polêmica, pois e pré-candidata a reitora não tem boa aceitação no interior por causa da precariedade que se encontra a unidade, esse problema não é só no Sertão, mas também no Ageste. 
Veja o comentário que foi feito em umas da redes sociais: "Triste. E esse final de semana aqui no Campus Sertão tinha uma faixa para receber a vice-reitora que me deixou indignada... Saudar a vice-reitora é uma coisa, saudar a futura reitora é completamente diferente, pois não sabemos quem será e eu não estou fazendo campanha para ninguém. Então não me coloquem em seus generalismos...".
O ex-pró-reitor de pesquisa e pós-graduação, Josealdo Tonholo, esteve visitando as unidades da UFAL do interior com o objetivo de se articular junto aos gestores da possibilidade dele sua candidatura. Segundo informações de bastidores, a missão foi dada pelo reitor Eurico Lobo, mas se assombrou com o alto índice de reprovação da gestão reitoriana na região.
Acredita-se que o ex-pró-reitor decidiu marchar como candidato independente, depois dos relatos proferidos por professores, técnicos e alunos. A cada depoimento que ele ouviu atentamente, o fez mudar seu conceito em relação à a administração central, e foi partir daí que passou a ver com seus pares a possibilidade a construção de uma candidatura independente. O que o Tonhola não imaginou foi a providência adota pelo QG do Campus A. C. Simões, fosse tão devastadoras a ponto de fazê-lo, do nada, desistir da empreitada. A comunidade universitária ainda espera pelo esclarecimento do sempre ex-pré-candidato a reitor.
Diante das articulações que estão sendo feitas para a composição de chapas, o grupo que tem um leque maior de opções, sem dúvida, é o da situação, que poderá surpreender a todos com o anúncio de seus candidatos, tudo vai depender das estratégias montada pela oposição ou de uma possível terceira via. Por enquanto não tem nada definido.

Fonte: Ufalsindical

terça-feira, 21 de abril de 2015

UFAL - "Temos que ter uma outra UFAL, uma UFAL do futuro", afirma o Márcio Aurélio, ex-reitoriano

As manifestações nas redes sociais a respeito da eleição para a escolha da nova gestão da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), só tem aumentado na medida em que a movimentação em torno dos nomes dos possíveis candidatos começa a ser apresentados.
Em artigo publicado anteriormente aqui no blog, trouxemos ao conhecimento dos leitores, um desabafo de um pesquisador da instituição, que não acredita mais no sistema. Pois, segundo ele, entra reitor e sai reitor e a situação de abandono, só aumenta a cada gestão.
O ex-diretor da UFAL Arapiraca e doutor em Agronomia pela USP, Márcio Aurélio, comentou uma postagem do blog onde foi colocada a possibilidade de sua colega, a Eliane Cavalcanti, compor o palanque da terceira via. No comentário o Márcio, ele aborda um tema que é o desejo de toda a comunidade universitária, quando diz: “É realmente hora de mudar, temos que mudar, temos que ter uma outra UFAL, uma UFAL do futuro. A nossa UFAL não pode continuar na mesma, o interior não pode continuar sofrendo por uma gestão que olha para suas necessidades diárias, atendendo o mínimo de maneira precária..." Desabafa o ex-reitoriano”.
Como Aurélio, são poucos na UFAL que têm a coragem de dizer o que pensam, pois a lista dos medrosos é sem fim, até na oposição tem camaradas que estremecem só de ouvirem falar no nome do Lobo. 
Ainda em seu comentário, o ex-diretor arapiraquense, conclama os colegas: “Precisamos revigorar nossas energias, restaurar nossas forças, precisamos de uma Gestão Imparcial e Democrática. Antes de olhar os apoios e seus apoiadores, devemos pensar na instituição UFAL... Por isso tenho como minha convicção que um(a) Reitor(a) deve ter ações menos emotivas e pessoais e mais ações dinâmicas e profissionais, sem perseguição pelos os que eles(as) julgam ser oposição, sempre pensando em um todo. Portanto, devemos ter sim, muito cuidado com suas escolhas, não as faças com emoções, mas com confiança e principalmente com esperança de que essa nossa escolha possa mudar para melhor”.
A preocupação do Márcio é a de todos que sonham com uma UFAL do futuro, onde as relações entre gestor e comunidade atende aos padrões de humanização, onde o diálogo é sempre a alternativa para resolver as situações de conflitos entre comando e comandados, sempre levando em consideração o princípio imparcialidade, pois todo poder emana do povo e não daquele que foi eleito para servi-lo.
É preciso que as pessoas tenham consciência que é hora de mudar e não esperar que as mudanças ocorram, sem que ninguém as faças acontecer.

Fonte: Ufalsindical 

UFAL - Rachel já tem seu vice, é o diretor do CECA

Depois da publicação do artigo que apresentou o Marcio Barboza, presidente da Associação dos Docentes da UFAL (ADUFAL), como pré-candidato da chapa da terceira via, os reitorianos estão pretendendo apresentar oficialmente o pretenso candidato à vice na chapa da Rachel Rocha.
Segundo Informações vindas do QG do Campus A. C. Simões, o contemplado representará o interior para fazer frente à Eliane Cavalcanti, que se confirmada sua candidatura junto à terceira via, a chapa da situação não terá chance.
O vice da Rachel será o desconhecido Gaus Silvestre, atual diretor do Centro de Ciências Agrárias (CECA/UFAL). O jovem gestor se tornou um fiel escudeiro dos reitorianos desde 2013, quando o Eurico Lobo, selou uma aliança com diretor Paulo Vanderlei, adversário político na época, em troca, a promessa de tornar a unidade de Rio Largo, independente da administração central.
Na verdade a estratégia do Lobo naquele ano teve como objetivo a ampliação de suas bases de apoio, a cooptação do gestor rebelde, era uma questão de vida ou morte no cenário eleitoral, pois o índice de reprovação a sua gestão despencava gradativamente por causa de sua política de gabinete e da inoperância da sua equipe em resolver os vários problemas que surgiram ao longo de sua gestão.
A tática de enfraquecer a oposição feita pelo reitor, visando ampliar o seu coeficiente eleitoral, pode até ter sido uma manobra acertada, mas será que na conjuntura política atual é possível que o atual diretor do CECA/UFAL, conseguirá transferir os votos do seu antecessor para a Rachel Rocha? Como será que professores, técnicos e alunos irão votar numa política de continuísmos? Só saberemos depois da contagem dos votos.

Fonte: Ufalsindical

segunda-feira, 20 de abril de 2015

UFAL - Márcio Barboza aceita o desafio e será candidato da terceira via

As articulações das lideranças políticas da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) começam a ganhar formato. São muitas as especulações em torno dos nomes que disputarão a eleição para escolha do novo gestor da instituição.
Ao que tudo indica a chapa da terceira via está se consolidando, pois já circulam pelas redes sociais banners com as fotos do Marcio Barboza, presidente da Associação dos Docentes da UFAL (ADUFAL) e da diretora da UFAL Arapiraca, Eliane Cavalcanti. 
Se confirmada a candidatura da representante do interior, isso significa um rompimento dela com os reitorianos, fato este que já era esperado, pois a interiorana jamais aceitaria marchar de braços dador com a Rachel Rocha.
O mais novo nome da terceira via, é graduado em Engenharia Civil, mestre em Engenharia Hidráulica e Saneamento e doutor em Engenharia Hidráulica e Saneamento, com vários trabalhos publicados.
Segundo informações de bastidores, a pré-candidatura do Barboza já vinha sendo costurada nos bastidores já há algum tempo, porém o mesmo se mostrava desinteressado em encarar a artilharia do QG do Campus A. C. Simões, Ele também foi procurado por representantes da oposição para ser cabeça de chapa, juntamente com a eterna candidata, Valéria Correia, mas rejeitou ser cooptado, por entender que a comunidade universitária não aceita o radicalismo da esquerda.
Nas redes sociais a aceitação aos nomes apresentados pela terceira via, mesmo que previamente, tem tido uma boa aceitação de professores, técnicos e alunos, que veem na figura do Márcio, um exemplo a ser seguido, não só como profissional, mas como esposo, pai, amigo e companheiro de luta.
Agora é só esperar pelo lançamento oficial das candidaturas dos independentes, para que seja montada a comissão para preparar o projeto de uma Nova UFAL para ser apresentado ao eleitorado, muitos serão os obstáculos que surgirão ao longo desta caminhada, mas todos estão firmes rumo a vitória.
Espera-se que a coragem destes guerreiros em aceitar o desafio de colocar seus nomes a disposição da comunidade e contra o sistema, possa contagiar a todos, pois o desejo de mudar a UFAL é maior que o medo.

Fonte: Ufalsindical

UFAL - Descrédito esvaziará a eleição ou a esperança reacenderá o desejo de mudança?

O processo eleitoral, nem bem começou, mas os comentários e discussões sobre a futura gestão da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) já podem ser vistos e ouvidos em conversas entre colegas de trabalhos de vários setores dentro e fora da instituição, principalmente nas redes sociais. 
A ideia de uma UFAL do futuro tem sido o principal tema para os embates entre os membros da comunidade universitária, professores, técnicos e alunos, todos almejam que o novo gestor tenha uma visão futurista e tire a IFES do atraso institucional e administrativo que se encontra.
Muito se comenta sobre as possíveis pré-candidaturas a reitoria, a indefinição do quadro mostra que pouco ou nada se trabalhou na formação de novas lideranças. A notória escassez de líderes é atribuída a política provinciana do reitor Eurico Lobo, que chega ao seu quarto ano de mandado, desgastado pela ineficiência administrativa refletida no descrédito.
O lema da gestão que se finda é comparada a utilizada nos anos 30 pelo Getúlio Vargas, “Aos amigos, tudo; aos inimigos, os rigores da Lei”. Essa tem sido a prática reitoriana aos que tentam levantar a bandeira contrária a sua política, ou seja, a sua parcialidade tem neutralizado a esperança daqueles que um dia fizeram surgir na UFAL o movimento que lutou pela redemocratização do País.
Em alguns depoimentos proferidos na internet vemos que alguns profissionais não têm mais esperança de mudanças, vejamos o que disse um dos pesquisadores da universidade:
Tem alguma esperança de coisa boa...? “Eu já desistir faz tempo... Agora é trabalhar em meus projetos, seja aqui em Maceió ou fora quem, sabe”.
Acho que a UFAL está vivendo um tempo muito antigo ainda; um tempo onde o técnico de nível médio de 20 horas já sabe todas as "manhas para não trabalhar" e conhece diversos instrumentos "jurídicos" que o protegem assim como professores Drs. 40 horas e que aparece uma vez por semana, também encontram um microssistema de proteção para ás "mamatas" deles.
Cansei disso faz tempo, assim como diversos colegas... também ficaram cansados e foram para instituições com bem mais seriedade. Infelizmente este é meu ponto de vista sobre a universidade que trabalho.
Essa é uma triste realidade que vemos hoje na UFAL, o que fazer para mudar? O que fazer para que as pessoas se sintam prestigiadas e valorizadas? É preciso ter coragem para dizer NÃO ao atraso, aos acordos e conchavos políticos que estacionaram a universidade no século passado.
Quem acredita numa UFAL do futuro sabe que os desafios são grandes, mas é preciso ter coragem para dar o primeiro passo, é preciso acreditar.
Fonte: Ufalsindical